Numa mesma estrada...caminhares!

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Do que carrego na ponta da lingua...

Descolar a retina
do clima
perder o tino
em outro outono
atear fogo em
folhas nuas
frases fakes
filmes de quinta

arder dutras distâncias
queimar sennas urgências
incendiar ene estações


Ando precisando disso, do desequilibrio, da loucura que desestabiliza o nó das coisas. Desse meu coração batendo no ritmo do inesperado, desesperado em sentir. Em mim essa vontade de tirar tudo do lugar, burlar, desarrumar, desconstruir… sei la...incomodam-me as certezas, eu quero é ser a das surpresas

Viver também é subverter lógicas desbaratinar contantemente a direção das coisas, semear interrogações

Galopeio a emoção e já não procuro mais o que me ampara mas o que me abisma. Olhar a vida com olhos fartos, demasiados e famintos...

Ponho na minha saliva a sede pro que ainda há de vir.

Estremeço os ponteiros, Atocaio os minutos, esfarelo o tempo, assopro-o por entre as unhas, toco o futuro com os dedos, quero um sabor de amanhãs.

…Erikah Azzevedo…



Preciso ser um outro
para ser eu mesmo
Sou grão de rocha
Sou o vento que a desgasta
Sou pólen sem inseto  
Sou areia sustentando
o sexo das árvores

Existo onde me desconheço
aguardando pelo meu passado
ansiando a
esperança do futuro


No mundo que combato morro
no mundo por que luto nasço
Mia Couto

38 comentários:

  1. erikah,

    Fiquei colada ao écran!

    Li, reli e senti a vida bater-me no peito.

    bj

    ResponderExcluir
  2. Amei tudo por aqui!
    Bem, lá na minha casa virtual chamo os comentários de "palavreando" (notei algum parentesco em nossos blogues...hehehe), confesso que tuas palavras trazem vida à tela do computador. Me atrvo a dizer que tuas palavras são vivas! É isso, palavras vivas!
    Bjo

    ResponderExcluir
  3. tudo muito lindo, lindo!!!bjus tere.

    ResponderExcluir
  4. Voce e essa sua intensidade que rasga todas as viceras!!! Adorooooooooooooooooooooooo!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Sim! Por vezes precisamos quebrar as rotinas, violar as regras, desafiar o tempo, ir além das fronteiras, libertar todos os desejos... respirar todos os amanhãs tendo nos lábios a palavra amor!

    Beijos!
    AL

    ResponderExcluir
  6. Ando precisando disso, do desequilibrio, da loucura que desestabiliza o nó das coisas. Desse meu coração batendo no ritmo do inesperado, desesperado em sentir. Em mim essa vontade de tirar tudo do lugar, burlar, desarrumar, desconstruir… sei la...incomodam-me as certezas, eu quero é ser a das surpresas

    Viver também é subverter lógicas desbaratinar contantemente a direção das coisas, semear interrogações

    Galopeio a emoção e já não procuro mais o que me ampara mas o que me abisma. Olhar a vida com olhos fartos, demasiados e famintos...

    Ponho na minha saliva a sede pro que ainda há de vir.

    Estremeço os ponteiros, Atocaio os minutos, esfarelo o tempo, assopro-o por entre as unhas, toco o futuro com os dedos, quero um sabor de amanhãs.


    …Erikah Azzevedo…



    Texto copiado do Blog Palavrear Intenso de Erikah Azzevedo !... Palavreio assim in_tensa_mente... ¿ http://palavrearintenso.blogspot.com/#ixzz1AqEyUIe7
    Esse texto foi copiado do site acima e está com a autoria garantida pelo
    Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

    ResponderExcluir
  7. passei por aqui e gostei muito do seu blog, vou voltar.

    ResponderExcluir
  8. Pois é, que pressa de sentir tudo, de viver todos, de existir muito!! Isso é bem vc, bjs.

    ResponderExcluir
  9. Minha querida

    Hoje passando apenas para te deixar carinhos...beijinhos e dizer que estou de volta e com saudades.

    Sonhadora

    ResponderExcluir
  10. Minha querida, tudo lindo e que mexe com meu interior.
    Incomoda a certeza...querer surpresas...amei isso.

    Beijos enormes no teu ♥ amiga.

    ResponderExcluir
  11. .

    Vez por outra precisamos nos desequilibrar, para equilibrar a balança de sentimentos contraditórios que carregamos.

    Gritar, quebrar regras, desafiar, inovar... e tudo mais que nos deixe um promissor 'sabor de amanhãs'

    Saudades, amorinha querida!

    Beijo grande!

    .
    .

    ResponderExcluir
  12. Minha querida, vc é maravilhosa! Eu adoro essas suas metáforas... sempre tão avassaladoras em mim! Venho aqui e saio cheia de inspiração...

    Adorei isso: "Galopeio a emoção e já não procuro mais o que me ampara mas o que me abisma."

    Adoro vc, amora!
    Beijocas :)

    ResponderExcluir
  13. "incomodam-me as certezas, eu quero é ser a das surpresas"
    Amei isto!
    Gosto muito do que vc escreve sobre os poemas.. nessa ressonância que sente com os poemas!... Lindo isso! Senti vocntade de ler algo que vc escrevesse sobre uma poesia minha!

    Vc é uma poetiza mesmo!

    Uma pergunta, onde vc encontra estes poetas?... livro... blogs?...

    ResponderExcluir
  14. Flor, e eu que estou em uma fase de pura incerteza, tudo o que mais queria era calmaria... Acho que nos mata é a rotina, não é mesmo? Seja ela qual for, seja intensa ou seja tranquila.

    Saudades tuas, viu?!

    Abraço na alma! :)

    ResponderExcluir
  15. Linda postagem! Fotos maravilhosamente escolhidas e encaixadas no contexto! bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir
  16. É apaixonante ler os teus textos, sentir a garra de que é feita cada uma das tuas palavras, a ânsia salpicada de loucura com que enfrentas a vida e a transformas numa aventura alucinante...

    Beijos de admiração.

    ResponderExcluir
  17. Oi linda...
    Tenho um selinho pra vc... olha lá: http://tha-euquerosempremais.blogspot.com/
    beijos

    ResponderExcluir
  18. Muito lindo o que você escreveu! *-*
    Me inspirou! Parabéns!
    beijos

    ResponderExcluir
  19. As coisas por aqui são encatadoras demais. Gostei muito.

    Vou seguir.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  20. Que saudade! encanto-me com o teu palavreio assim in_intenso.

    abraços

    ResponderExcluir
  21. sabor de amanhãs apetecem o paladar,


    beijo

    ResponderExcluir
  22. Te ler é puro encantamento !! Beijos mil, bom sábado.

    ResponderExcluir
  23. Amo te ler, vc é muito especial amora, ti bju

    ResponderExcluir
  24. Perfeito!!!

    Aprendi que não ter todas as certezas...que ser movido pelas perguntas e não pelas respostas torna a vida mais emocionante!!!

    bjinhus...

    ResponderExcluir
  25. Em você encontro uma dose perfeita de coragem de sentir! Amo isso em você em meio à tantas outras coisas que amo.

    E com seus textos não me sinto órfã. Me sinto apropriada deles, muito mais do que devaneios, são a sua essência a percorrer também as minhas veias.

    OBRIGADA!

    ai, que saudade, minha queridíssima!

    ResponderExcluir
  26. "Estremeço os ponteiros, Atocaio os minutos, esfarelo o tempo, assopro-o por entre as unhas, toco o futuro com os dedos, quero um sabor de amanhãs."

    Que maravilha! Também quero!

    ResponderExcluir
  27. Olá, Érikah!
    Passei apenas para conhecer seu blog e adorei este texto, como muitos dos que já falaram. Mas, palavreando, queria desejar-lhe um óptimo 2011 cheio de sonhos realizados. Queria também deixar um pensamento talvez tolo, mas interessante para quem gosta de questionar o legado dos nossos antepassados :
    Acabámos de celebrar o Natal e... sabia que o Natal não existe? Curioso, não é?
    Pois: o Natal foi inventado pela Igreja para “cristianizar” as festas pagãs em honra dos deuses solares, Mitra e outros, que se celebravam, por todo o império romano, ao redor do solstício de Inverno, como início do renascimento para uma vida nova, a da Primavera. Teve o seu aparecimento no s. IV, na Igreja Ocidental (25 de Dezembro – calendário Gregoriano) e no s. V na Oriental (7 de Janeiro – calendário Juliano). A narrativa do nascimento de Jesus de Mateus, ampliada por Lucas (nada sendo referido nem em Marcos nem em João), uma e outra são puras invenções sem qualquer credibilidade histórica nem qualquer verosimilhança (No inverno, os pastores não dormem ao relento...) Portanto, o Menino Jesus do catecismo não existiu. Muito menos o Deus Menino! E o mundo inteiro festeja algo de inexistente... Dá que pensar, não dá? (Ver mais no meu blog “Em nome da Ciência” cujo acesso é: http://ohomemperdeuosseusmitos.blogspot.com)
    Agora, associando-me ao luto que neste momento faz sofrer tantos irmãos brasileiros e fazendo votos para que tal não volte a acontecer nesse país irmão, ainda diria: apesar das catástrofes que vão acontecendo pelo mundo, com muita probabilidade provocadas pelas alterações climáticas e ambientais devidas à acção do Homem, o mesmo Homem, através dos seus governos subjugados aos interesses económico-financeiros de alguns (5% da população mundial, isto é, os que detêm 95% da riqueza produzida à face da Terra), não vai pôr-lhe cobro; preferirá assistir a novas catástrofes em que, como de costume, os mais fracos e pobres são os que irão continuar a sofrer. Inutilmente! Há que lutar para mudar estes sistemas e estes modelos não só políticos mas também económico-financeiros. Como? – Ver no meu blog “Ideias-Novas” cujo acesso é: http://ummundolideradopormulheres.blogspot.com
    Francisco Domingues

    ResponderExcluir
  28. Despedaçar, moer as palavras e extrair os sentimentos...
    Grande Erikah!
    Um grande abraço, menina!

    ResponderExcluir
  29. "Viver também é subverter lógicas desbaratinar contantemente a direção das coisas, semear interrogações"

    Palavras certeiras, Erikah!

    Bjs e inté!

    ResponderExcluir
  30. Oi. Gostei do seu blog. Se puder segue o meu blog ? http://xxx-memories-xxx.blogspot.com/
    Ficarei feliz em ver você por lá no meu cantinho.

    Obrigada pela atenção.
    Ass: Jéssica.
    Bjoos ♥

    ResponderExcluir
  31. Erikah:
    "quero um sabor de amanhãs."
    também eu...
    beijo

    ResponderExcluir
  32. É quando os pés deixam de tocar o chão, que nos damos conta que a vida é uma surpresa diária.

    Grande abraço, Keli

    ResponderExcluir
  33. Tem razão! Desequilibrar-se é bom e necessário, de vez em quando.
    Quem não se desestabiliza um pouco perde a noção maravilhosa de ser simplesmente HUMANO!
    Abração

    ResponderExcluir
  34. Me sinto exatamente assim.
    Adoro as mudanças. Adoro o desequilíbrio em um equilíbrio.

    Adorei seu blog.
    Beijo

    ResponderExcluir
  35. Ler o teu "palavreado" é cavalgar a vida de cabelo ao vento...
    É uma sensação única...
    Beijos.

    ResponderExcluir

Palavreia aqui você também!
Faça-se palavra!